Armello

Postado por

O rei está doente. Dominado pela força profana conhecida como Podridão, ele alterna momentos de sanidade e loucura, e comanda suas tropas para saquear vilas, atacar inocentes e forjar efêmeras alianças com quem certamente o trairá. Neste contexto, líderes dos quatro maiores clãs de Armello buscam uma forma de destronar o Rei. Seja pela força da espada, pelo poder das Pedras do Espírito ou corrompido pela Podridão, o Rei há de cair, e um novo Regente será coroado.


Essa é a premissa de Armello, um boardgame digital que foi oficialmente lançado em setembro de 2015 para Steam, iOS, Android e PlayStation 4, chegando posteriormente ao XBOX One. Apresentando um universo de fantasia dark, seus contrastantes personagens são todos animais. Temos quatro clãs – dos Lobos, dos Coelhos, dos Ursos e dos Ratos -, todos buscando uma forma de derrotar o rei de Armello. Não pense, porém que o jogo é um Mice and Mystics, um coop bonitinho e fofo. Em Armello, batalhas sangrentas tomam forma enquanto rolamos dados e compramos cartas de Itens, Truques e Feitiços para alcançar o objetivo.

[OS HERÓIS DO REINO]
Cada Herói possui atributos e poderes diferentes. O líder dos Lobos, Thane, por exemplo, ganha uma Espada extra em testes de combate (cada espada destrói um escudo do adversário, e se sobrarem espadas elas causa dano no oponente). Sana, líder dos Ursos, usa seu Espírito ao invés de Força para jogar dados de combate. Amber, do clã dos Coelhos, ganha recompensas extras ao explorar dungeons.

Thane, Mercurio, Sana e Amber, alguns dos Heróis do jogo.

[AS REGRAS DO REINO]
Existem quatro formas de vencer em Armello: a vitória por combate se dá matando o Rei e sobrevivendo; a por Prestígio acontece quando o Rei morre (seja por infecção ou se outro jogador o matou e acabou morrendo junto) e você tem o maior número de pontos de Prestígio; a por Corrupção é alcançada matando o rei enquanto você mesmo possui um valor de Corrupção maior que o do próprio rei; e a por Pedras de Espírito pede que você encontre quatro destas pedras no tabuleiro, e então enfrente o Rei, salvando-o da infecção (mas não da morte).

O tabuleiro de Armello é gerado de forma aleatória, com espaços hexagonais representando vilas, dungeons, círculos místicos que recuperam HP, pântanos que fazem você perder energia. Mover de um espaço para outro custa 1 Ponto de Ação (exceto em Montanhas, que custam 2 pontos mas lhe darão 1 ponto extra de defesa em batalhas). Você sempre estará com uma “quest” ativa, e completá-la pode ser feito de duas formas: a mais fácil não exige confrontos, mas lhe dá poucas recompensas. A mais difícil exige um teste de algum atributo, e pode lhe render itens, aliados e outros extras.

O belíssimo tabuleiro modular de Armello.

Todos os testes, inclusive as batalhas, são resolvidos rolando dados e comparando os ícones das faces. Num combate, por exemplo, cada espada lhe dá um ponto de ataque; cada escudo, um ponto de defesa. Existem também efeitos especiais que permitem gastar ícones para ganhar vantagens.

No começo de seu turno, você compra cartas de três decks, Itens, Feitiços e Trapaças, e pode ter um número de cartas quaisquer igual à sua Inteligência. As cartas podem ser equipadas, jogadas em locais do tabuleiro e sobre outros Heróis, para causar-lhes danos e outros problemas.

Criaturas da Corrupção podem surgir aleatoriamente durante a exploração das dungeons, e você precisa enfrentá-las. O Rei, sabendo das intenções dos Heróis e tomado por sua loucura, vez ou outra espalha “Desafios” pelo tabuleiro, todos com objetivos secretos (mas que normalmente incluem você rolar dados e comparar resultados), e falhar pode causar complicações na sua jornada.

Combate: role dados, use cards e vença seu oponente!

[A BELEZA DO REINO]
Tecnicamente, Armello é um show. Cores vivas em um cenário bem desenhado, uma trilha sonora belíssima e TODOS os cards com animações (para nós que sempre vemos as ilustrações estáticas em jogos desse tipo, isso é um show à parte) fazem deste um belíssimo boardgame digital. O jogo possui um ciclo de dia e noite, que não apenas muda a luminosidade do cenário, oferecendo luzes nas vilas e coisas do gênero, mas tem efeito na jogabilidade: quando amanhece, você ganha Gold de acordo com a quantidade de vilas que domina, para pagar pelas cartas de itens e aliados da mão. Quando anoitece, recupera Magia para usar feitiços e ganha bônus de Furtividade nas Florestas. Todo dia, o jogador com maior Prestígio pode escolher uma dentre duas Ordens do Rei, que afetarão todos os jogadores durante alguns turnos, o que gera ainda mais caos e competitividade.

Uma das cartas do jogo. Pense em algo como as fotos do mundo bruxo de Harry Potter, e você tem uma ideia de como é a movimentação das ilustrações.

[AVENTURE-SE NO REINO]
Armello é uma adição belíssima para os boards digitais. Como qualquer produto digital possui algumas pequenas falhas, corrigíveis com o tempo – como a falta de um modo História e de um multiplayer local (só é possível jogar multiplayer online). Já recebeu diversas atualizações gratuitas, todas adicionando novas opções, cartas, balanceamento e até “skins” para os heróis. Pela bagatela de R$ 40 na Steam e R$61,50 na PlayStation Store BR, e estando totalmente em Português do Brasil (!!) pode vir a ser um excelente passatempo para quem sempre imaginou como seria misturar A Game of Thrones e Kung Fu Panda.